domingo, novembro 12, 2006

Horror

____no momento da descoberta, eu vi o Horror; tornei-me a mim mesmo. O Horror era de olhos grandes esbugalhados, de um corpo magro esguio sem forma
O Horror se mostrou para mim atrás da porta, de respiração aflita [ eu não desviei os olhos e naquele instante eu permiti, não tive medo ] ele quis algo de mim
Sem saber meu olhar publicou a entrada, então o Horror se fez atrás dos vitrais, das janelas, dos móveis, ele estava sob minha cama, frequentava por baixo dos panos [ a cada encontro o Horror me torna um pouco inexistente ] ele sai de dentro dos armários com aqueles olhos.
...ter visto o Horror foi trazer a existência para o peito, é não ter nascido e respirar.
O Horror s'esconde pela casa, está nos detalhes imperceptíveis que só eu posso enxergar
[ Ele me fecha a alma.

2 comentários:

Redd disse...

Talvez ele queira que você o liberte de alguma coisa...

Guilherme Côrtes disse...

pois é, né? tá aí, no cotidiano, me agrada profundamente estar aqui, sempre!