quarta-feira, junho 20, 2007

Verdade

Com a casa interna vazia
hystérica
as mãos encharcadas de prazer
aos esganiços
ela envergonhou a família
na frente dos vizinhos.

7 comentários:

A Antimusa disse...

Eu gosto da atmosfera suscitada deste também, tanto na forma quanto no sentido.

A Antimusa disse...

Aliás, pensando bem, não sei o que o homem, que você é, te trata. Mas, a mulher que existe dentro de você, se me permite,te acalenta com belas poesias.

Arnaldo Sobrinho disse...

Clariciano, eu diria. Um texto brutalmente delicado. Pra mastigar durante horas.

na fortaleza furta-cor disse...

"sentir é quase uma hysteria"

já disseram isso uma vez, não foi?

na fortaleza furta-cor disse...

c`est moi!
ou seria uma? ou outra? outro é um eu?

passo por aqui de novo, textos de tirar o fôlego. muito bom!
beijos.

rosely disse...

Vc leu Os três ensaios sobre sexualidade de Freu quando caracterizou a menina de histérica?
roselyhourneaux@yahoo.com.br
orkut: roselyhourneaux

rosely disse...

A histeria não é muito compreendida como deveria ser.
Só compreendi quando estudei Freud.
Por isso, qual foi a intenção de se usar esse adjetivo (histérica) para qualificar a menina, se a histeria ocorre em mulheres?