quarta-feira, setembro 12, 2007

interminável

Não te assuste
porque as folhas caem
porque eu não me assusto
quando me caem as folhas enfileiradas das costelas

3 comentários:

A Antimusa disse...

Parece ter um código secreto neste.
Curioso.

Arnaldo Sobrinho disse...

"A beleza é um susto e só".

Walmir disse...

poema tem que ser assim, cheio dos inexplicáveis.
Muito bom.
Vou aqui apreciando seu boteco de pouco em pouco.
Paz e bem