segunda-feira, janeiro 09, 2006

Receita

Talvez pudesse dizer que conheço o indizível
Mas logo refreariam: "Os cães daqui são como os de lá, felizes e engraçados, baby..."
E de que adianta todo esse inglês se na língua que bate dentro de mim você é analfabeto?
Convenhamos, Cher bostinha.
Palavras soltas e embriagadas não calam mais sua boca.

Brota silêncio dos olhos/ das mãos/ da respiração. Algo desconexo = des con certo. Indizível.
Vontades caídas, escravo de um amontoado de átomos. Lugar indescritível.

Bebida que te tira de mim. Eu embebido em você. Ali no fogo brando. Por horas.
Cozinha do Diabo.
Mas os cachorros daqui me parecem tão mais cachorros, felizes e engraçados. Baby.
De onde quero ver e vejo. Com aqueles velhos óculos de lentes cor escarlate.

Para o indizível, fones de ouvido sujo.
Para a visão, pálpebras grandes grossas que escondam os segredos que só eu posso ter.
Para você, aulas particulares de língua que bate dentro de mim.

Um comentário:

Thell Guerson disse...

Linguas que já falei já não compreendo mais. Tudo mudou tanto.
Só me resta ir para a cozinha assar um peixe ao molho de ervas finas enquanto não encontro a nova gramática da editora.